Conjunções Coordenadas e Subordinadas

Conjunção é uma palavra invariável que liga orações ou palavras da mesma oração.

Examinemos estes exemplos:

a) Tristeza e alegria não moram juntas.

b) Os livros ensinam e divertem.

c) Saímos de casa quando amanhecia.

No primeiro exemplo, a palavra “e” liga duas palavras da mesma oração: é uma Conjunção.

No segundo e terceiro exemplos, as palavras e e quando estão ligando orações: são também Conjunções.

No exemplo b, a Conjunção liga as orações sem fazer que uma dependa da outra, sem que a segunda complete o sentido da primeira: por isso, a Conjunção “e” é Coordenativa.

No exemplo c, a Conjunção liga duas orações que se completam uma à outra e faz que a segunda dependa da primeira: por isso, a Conjunção “quando” é Subordinativa. As conjunções, portanto, dividem-se em Coordenativas e Subordinativas.

Conjunção Coordenativa

Aditivas

São aquelas que dão idéia de adição, acrescentamento: e, nem, mas também, mas ainda, senão também, como também, bem como.

Exemplos:

—O agricultor colheu o trigo e o vendeu.

—Não aprovo nem permitirei essas coisas.

—Os livros não só instruem mas também divertem.

—As abelhas não apenas produzem mel e cera mas ainda polinizam as flores.

Adversativas

São aquelas que exprimem oposição, contraste, ressaltava, compensação: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, senão, ao passo que, antes (=pelo contrário), no entanto, não obstante, apesar disso, em todo caso.

Exemplos:

—Querem ter dinheiro, mas não trabalham.

—Ela não era bonita, contudo cativava pela simpatia.

—Não vemos a planta crescer, no entanto ela cresce.

—A culpa não a atribuo a vós, senão a ele.

—O professor não proíbe, antes estimula as perguntas em aula.

—O exército do rei parecia invencível, não obstante foi derrotado.

—Você já sabe bastante, porém deve estudar mais.

—Eu sou pobre, ao passo que ele é rico.

—Hoje não atendo, em todo caso, entre.

Alternativas

São aquelas que exprimem alternativa, alternância: ou, ou…ou, ora…ora, já…já, quer…quer, etc.

Exemplos:

—Os seqüestradores deviam render-se ou seriam mortos.

—Ou você estuda ou arruma um emprego.

—Ora triste, ora alegre, a vida segue o seu ritmo.

—Quer reagisse, quer se calasse, sempre acabava apanhando.

Conclusivas

São aquelas que iniciam uma conclusão: logo,portanto, por conseguinte, pois (posposto ao
verbo), por isso.

Exemplos:

—As árvores balançam, logo está ventando.

—Você é o proprietário do carro, portanto é o responsável.

—O mal é irremediável; deves, pois, conformar-te.

Explicativas

São aquelas que precedem uma explicação, um motivo: que, porque, porquanto, pois (anteposto ao verbo).

Exemplos:

—Não solte balões, que (ou porque, ou pois, ou porquanto) podem causar incêndios.

—Choveu durante a noite, porque as ruas estão molhadas.

Observação:

…! A Conjunção “e” pode apresentar-se com sentido adversativo:

Exemplos:

—Sofrem duras privações e [= mas] não se queixam.

— “Quis dizer mais alguma coisa e não pôde.” (Jorge Amado)

______________________________________________________________

É a palavra que liga orações basicamente, estabelecendo entre elas alguma relação (subordinação ou coordenação).

As conjunções classificam-se em:

Coordenativas, aquelas que ligam duas orações independentes (coordenadas), ou dois termos que exercem a mesma função sintática dentro da oração.

Apresentam cinco tipos:

aditivas (adição): e, nem, mas também, como também, bem como, mas ainda;

adversativas (adversidade, oposição): mas, porém, todavia, contudo, antes (= pelo contrário), não obstante, apesar disso;

alternativas (alternância, exclusão, escolha): ou, ou … ou, ora … ora, quer … quer;

conclusivas (conclusão): logo, portanto, pois (depois do verbo), por conseguinte, por isso;

explicativas (justificação): – pois (antes do verbo), porque, que, porquanto.

Subordinativas – ligam duas orações dependentes, subordinando uma à outra. Apresentam dez tipos:

causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como, desde que;

Palavra que liga orações basicamente, estabelecendo entre elas alguma relação (subordinação ou coordenação). As conjunções classificam-se em:

comparativas: como, (tal) qual, assim como, (tanto) quanto, (mais ou menos +) que;

condicionais: se, caso, contanto que, desde que, salvo se, sem que (= se não), a menos que;

consecutivas (conseqüência, resultado, efeito): que (precedido de tal, tanto, tão etc. – indicadores de intensidade), de modo que, de maneira que, de sorte que, de maneira que, sem que;

conformativas (conformidade, adequação): conforme, segundo, consoante, como;

concessiva: embora, conquanto, posto que, por muito que, se bem que, ainda que, mesmo que;

temporais: quando, enquanto, logo que, desde que, assim que, mal (= logo que), até que;

finais – a fim de que, para que, que;

proporcionais: à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais (+ tanto menos);

integrantes – que, se.

As conjunções integrantes introduzem as orações subordinadas substantivas, enquanto as demais iniciam orações subordinadas adverbiais. Muitas vezes a função de interligar orações é desempenhada por locuções conjuntivas, advérbios ou pronomes.

Fonte: http://www.pciconcursos.com.br

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: