MARKETING PESSOAL É DECISIVO PARA CRESCER NO TRABALHO

MARKETING PESSOAL É DECISIVO PARA CRESCER NO TRABALHO

Você é daqueles que se diz vítima do sistema e não tem seu trabalho reconhecido na empresa em que trabalha? Nem tudo está perdido. Especialistas apontam que muitos casos de falta de reconhecimento estão ligados diretamente a uma fraca estratégia de marketing pessoal. Em um português claro, significa que você pode não estar sabendo vender o seu peixe da maneira certa na empresa em que trabalha. Esse artifício, no entanto, não implica em uma mera auto-promoção ou em contar vantagens sobre os colegas. Trata-se de algo muito mais abrangente. A palavra-chave para o sucesso do profissional, dizem os especialistas em recursos humanos, é relacionamento.
Sonia Liggierri, professora do MBA Executivo de Marketing, do Ibmec, prefere tratar o assunto como marketing do relacionamento pessoal e explica o motivo: “todos têm obrigação de investir em seu relacionamento. A capacidade de conhecer outras pessoas e áreas é fundamental para o crescimento no trabalho.”
Uma recente pesquisa conduzida pelo Wall Street Journal revelou que 75% das pessoas entrevistadas acreditam que a melhor maneira de ganhar visibilidade no trabalho é criar contatos internos e externos e procurar tarefas desafiadoras. A pesquisa foi realizada com empresas e profissionais responsáveis por processos de seleção.
“Auto-conhecimento é primordial”, diz Sergio Lozinsky, sócio-diretor da PricewaterhouseCoopers Consulting (PwC). Segundo o executivo, o profissional deve conhecer suas limitações dentro da área em que atua. Para se destacar no ambiente de trabalho é preciso identificar os seus pontos fortes e empenhar-se em fortalecê-los ainda mais. Os talentos identificados, desenvolvidos e construídos tendem a aumentar em valor à medida que se adquire mais experiência, dizem os especialistas.
Quanto às fraquezas, é necessário estar atento. Eliminar as que podem comprometer o andamento do trabalho é essencial, mas o profissional deve preocupar-se muito mais em desenvolver seus pontos fortes. O fato de não ter a própria marca valorizada pode representar riscos de baixos salários e pouca valorização do trabalho.
Outro fato destacado por Lozinsky sobre o relacionamento refere-se a estar constantemente buscando melhorar a relação com colegas, subordinados e chefes. “É importante saber trabalhar em equipe, valorizar os que contribuem para o sucesso do seu trabalho”, acrescenta o consultor.
Além disso, é crucial aproveitar cada oportunidade que surgir para falar – seja pessoalmente, por telefone ou via e-mail. Segundo Lozinsky, é importante mostrar sempre que está ‘ligado’. Essa dica é válida especialmente para os iniciantes, que devem sempre buscar uma maneira de demonstrar suas qualidades.
Atualizar-se é imprescindível
Outra característica bastante mencionada pelos especialistas refere-se à constante atualização. É praticamente impossível explorar uma imagem para sempre sem que haja novidades. Mas atualizar as questões ligadas à especialização não basta. É fundamental manter-se em dia com os aspectos culturais e sociais para o desenvolvimento da carreira a longo prazo.
Para Flavio Maia, diretor do grupo Plaut IT, fazer bem o marketing pessoal não significa se expor exageradamente, mudar formas de agir e pensar. “Nenhum tipo de exposição exige que se diga tudo aquilo que o profissional já fez em sua carreira, sua formação, seus cases. Essas características são naturalmente notadas pelas pessoas necessárias. Basta estar no lugar certo, na hora certa e com as pessoas certas”, explica Maia.
Honestidade também é um ingrediente que não pode faltar na lista de quem pretende se auto-promover. Augusto Pinto, diretor da RMA Comunicação e Negócios e autor do livro Ser Humano.com.br, diz que o profissional deve transmitir sua opinião independentemente do que os outros pensam. “Tem que desenvolver um perfil que explore suas habilidades, sem mudar seu caráter pessoal, e criar uma imagem para o mercado na qual ele poderá ser sempre coerente com ela”, resume.
Os especialistas são ainda unânimes em alguns aspectos. Um deles é a opinião de que o profissional não deve atirar para todos os lados e nem se vender como um produto para o mercado. Neste caso, cedo ou tarde, terá sua imagem desgastada. É preciso estar disponível sempre: aceitar convites para participar de eventos, atualizar-se o tempo todo, transmitir a imagem de que está sempre inserido em seu mercado de atuação. E, o mais importante, ter em mente que quem, de fato, faz sua imagem são terceiros: funcionários, clientes e parceiros.
Marketing pessoal – dicas práticas
Palestras: uma boa maneira de se apresentar ao mercado, fortalecendo a sua imagem no meio empresarial. Além de estar por dentro dos assuntos relacionados, no entanto, o profissional deve saber falar para um grupo.
Primeira pessoa: se você está representando sua empresa, não fale nunca na primeira pessoa – “eu demorei, eu criei”; geralmente há várias pessoas engajadas em um projeto e vai soar que você quer aparecer mais do que deve.
Mantenha-se atualizado: quando o seu chefe perguntar em uma reunião “como é mesmo o nome daquela empresa que pediu concordata nessa semana?” você certamente ganhará pontos ao saber de imediato do que ele está falando.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: