Lenda do Uirapuru

uirapuru-verdadeiro

O uirapuru-verdadeiro (Cyphorhinus aradus) é uma ave canora conhecida pelo seu canto particularmente elaborado, o que justifica que também seja conhecido vulgarmente como músico ou corneta. É reconhecido, também, apenas por uirapuru ou arapuru, guirapuru, rendeira, tangará ou virapuru. O termo é originário da língua Tupi-guarani “wirapu ‘ru” e aplica-se ainda a outros trogloditíneos e pipríneos amazônicos. É famoso pelo seu canto e pelas lendas que o envolvem. É usado como talismã para trazer sorte na vida e no amor, sendo empalhado ou utilizado a sua pele.

Morfologia

Tem uma plumagem simples, pardo-avermelhada com desenhos brancos pintados de preto em cada lado da cabeça, garganta e peito vermelho-vivo, que não alcança a exuberância do seu canto. Possui um bico forte e pés grandes e mede, em média, 12,5 cm.

Habitat e distribuição geográfica

O seu habitat preferencial é o estrato inferior da floresta úmida, tanto em terra firme como, principalmente, em florestas de várzea. É nativo da América do Sul – Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia, – podendo ser encontrado em quase toda a Amazónia brasileira, excepto no alto Rio Negro e na região oriental do Rio Tapajós.

Alimentação

Come, principalmente, insetos, mas também se alimenta de frutas. Acredita-se que o uirapuru, como vários outros pássaros amazônicos, alimenta-se mais ativamente durante as estações chuvosas, quando formigas taocas saem dos formigueiros e passam a atacar animais rasteiros próximos, provocando movimentação que atrai os pássaros. Igualmente, crê-se que o uirapuru tenha o hábito de esperar até que outras espécies deixem o local para se alimentar, inspirando o ditado de que “enquanto os outros comem, o uirapuru canta”.

Comportamento

O uirapuru locomove-se rapidamente no solo ou no meio das folhagens. Pode formar casais ou ficar em conjunto com outras espécies de pássaros. Há uma lenda que diz que ele atrai bandos de aves com a sua bela melodia; entretanto, ele apenas integra bandos em busca de alimento. Seus voos são curtos e sussurrantes em movimentos de vai-e-vens (voa e volta para o mesmo lugar), em área limitada.

O canto do uirapuru

No folclore do norte do Brasil, o uirapuru é conhecido por ter um dos mais belos cantos entre as aves, fazendo com que todos os outros pássaros param de cantar para ouvi-lo. Também se diz que, por lembrar um flautim, flauta ou clarinete, o canto do uirapuru inspiraria poetas.

O compositor Villa-Lobos compôs em 1917 o poema sinfônico “Uirapuru”, baseado em material do folclore coletado em viagens pelo interior do Brasil. Na lenda que inspirou a obra, o pássaro encantado – “rei do amor” – é flechado no coração por uma moça embevecida com a suave canção e transforma-se em um bonito jovem.

O canto do uirapuru pode ser curto e forte, quando pretende demonstrar domínio do território; ou longo e melodioso, quando sua intenção é a atração sexual. Dura de 10 a 15 minutos ao amanhecer e ao anoitecer, na época da construção do ninho, e canta apenas cerca de quinze dias por ano.

Lendas

Algumas lendas sobre o uirapuru:

  • “Um pássaro de canto perfeito é atingindo por uma flecha de uma moça apaixonada e se transforma em um belo guerreiro. Cheio de inveja, um perverso feiticeiro toca uma bela canção em sua flauta encantada e faz com que o rapaz suma. A partir daí, só a maravilhosa voz do guerreiro permaneceu na mata. É raro observar o uirapuru, entretanto frequentemente seu canto é ouvido na mata.”
  • “O homem que obtiver uma pena, terá sorte nos negócios e com as mulheres. A mulher que conseguir um pedaço do ninho terá a pessoa que ama apaixonada e fiel pelo resto da vida. Quem ouvir o canto deverá fazer um pedido, que será rapidamente realizado.”
  • ” Havia uma tribo de índios, onde duas índias lindas amavam o cacique. Com dúvida em qual escolher, o cacique prometeu casar-se com aquela que tivesse melhor pontaria, então propôs um desafio: a índia que acertasse a flecha no alvo seria sua amada. Apenas uma das índias acertou a flecha no alvo, e foi a que casou-se com o cacique, a outra, triste, pediu ao deus dos índios, Tupan, que a transformasse em um pássaro para poder observá-los discretamente e hoje, dizem que o homem que obtiver uma pena terá sorte nos negócios e com as mulheres. A mulher que conseguir um pedaço do ninho terá a pessoa que ama apaixonada e fiel pelo resto da vida. Quem ouvir o canto deverá fazer um pedido, que será rapidamente realizado.”

Referências

  • BARROS, Carlos; PAULINO, Wilson Roberto. Os seres vivos. 64° edição, totalmente reformulada. São Paulo: Ática, 2000.
  • Curiosidades da vida animal – Fauna Brasileira
  • Canto do Uirapuru

Lendas do Uirapuru

 O Uirapuru é uma ave que possui muitas lendas , vamos ler algumas abaixo :

 

Uirapuru

 Há muitos anos atrás , no Sul do Brasil , existia uma tribo de índios . Neste lugar , duas jovens se apaixonaram pelo filho do cacique . O rapaz falou que se casaria com a moça que tivesse melhor pontaria . Então ele se casou com a mulher que acertou o alvo . A outra moça , cujo o nome era Oribici ficou muito chateada . Diz a lenda que ela chorou tanto que suas lágrimas se transformaram em um córrego .

NOME COMUM: Uirapuru-verdadeiro
OUTROS NOME: corneta ou músico.
NOME EM INGLÊS: Organ Wren
NOME CIENTÍFICO: Cyphorhinus aradus
FILO: Chordata
CLASSE: Aves
FAMÍLIA: Troglodytidae
PLUMAGEM: pardo-avermelhada e bem simples
CARACTERÍSTICA FÍSICA: Tem bico forte, pés grandes e, às vezes, nos lados da cabeça, um desenho branco.
COMPRIMENTO: 12,5 cm.
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: Presente em quase toda a Amazônia brasileira, com exceção do alto Rio Negro e da região a leste do Rio Tapajós. Encontrado também em todos os demais países amazônicos – Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.
HABITAT: É localmente comum no estrato inferior de florestas úmidas, principalmente na terra firme, mas também em florestas de várzea.

Porém  a tristeza não passou e Oribici resolveu suicidar – se jogando o seu próprio  corpo de uma montanha .Porém  na hora definitiva a moça arrependeu – se e rezou para Tupã pedindo para que o deus a transformasse num pássaro para que pudesse espiar o amado .

Assim Tupã fez a vontade de Oribici e a transformou num pássaro de cor verde – oliva ,  de  cauda avermelhada , com um belo canto e deu – lhe o nome de Uirapuru que em tupi significa “ pássaro que não é pássaro “ .

Então Oribici , em forma desta ave , foi espionar a vida conjugal de seu amado e notou que ele amava muito a sua esposa .

A jovem , desapontada , voou  para longe até a Amazônia .

Reza a lenda que a pessoa que encontrar o corpo de um uirapuru morto será feliz no amor .

 

Lenda de Ubiratan

 

Numa tribo indígena havia dois homens : Ubirajara e Ubiratan , os dois se apaixonaram pela filha do cacique , cujo o nome era Jurema . O chefe disse que sua filha se casaria com o homem que vencesse no teste de força . Então  Ubirajara ganhou .

Ubiratan ficou triste e participou de um ritual sagrado , onde ele pediu para que Tupã lhe transformasse num pássaro .

Então o deus atendeu o seu pedido e chamou o pássaro de Uirapuru , cujo o canto era hipnotizador . Na noite de núpcias de Jurema  , seu marido  Ubirajara ficou tão encantado com o som do pássaro que vinha da floresta , que resolveu sair no meio da noite e caça – lo . Assim ele se perdeu no meio do mato e não conseguiu voltar mais na tribo .

Deste jeito o Uirapuru passou a seguir Jurema e a encanta – la através do seu canto  com a esperança de que ela reconhecesse a sua verdadeira identidade .

Falam que quando um uirapuru canta é porque perto existe uma pessoa que ama , mas não é correspondida .

 

A Feia Que Achou um Uirapuru Morto

 

Cíntia sempre foi uma adolescente  muito feia : gorda , vesga , espinhenta , de pele oleosa  e com problemas respiratórios . Ela sofria bullying na escola e seu maior sonho era ter um namorado . Por coincidência  , sua lenda favorita era a do Uirapuru .

Esta garota freqüentava  sempre cartomantes e videntes para fazer feitiços com o objetivo de conseguir um amado .

Uma vez uma vidente disse – lhe :

– Você somente arrumará um namorado  depois que um pássaro aparecer na sua vida .

A partir daquele dia , Cíntia encheu sua casa de gaiolas com pássaros como : canários , periquitos e sabiás .

Mas ,  vendo que nada disto adiantava , vendeu estes bichos .

Muito tempo depois , ela achou o corpo de um uirapuru morto no quintal da sua casa . Esta garota achou o bicho tão lindo que resolveu empalhar o animal na mesma hora .

A partir daquele dia , tudo passou a mudar : ela foi a uma festa e ficou com Rafael , o rapaz mais lindo da escola , que era o ex – namorado de Patty  , a garota mais popular .

Patty , ao saber desta história ,  arrombou a janela de Cíntia  , de madrugada  , e resolveu matar a rival  com uma faca de cozinha .

Quando ela iria dar o bote , o uirapuru criou vida e matou a bandida através de várias bicadas fatais .

Luciana do Rocio Mallon

__________________________________________________________

Canção do Uirapuru

O vento ecoa tua voz
suspensa e misteriosa no ar
as aves em silêncio contemplam
sem saber de quem será.

um canto que semeia alento
faz florescer novo encanto
poesia que se faz momento
melodia de repouso e descanso.

solitária ave peregrina
voa a deixar tua bela canção
amor que se descortina
tua voz, a mais pura oração.

canção do velho uirapuru
pousado no galho do salgueiro
folha a folha o seu ninho
dedilhado ao som do violeiro.

Thiago Azevedo
Curuçá, 18 de julho de 2011

s.m. Ave passeriforme da família dos trogloditídeos, que canta maravilhosamente, mas só enquanto constrói o ninho, e que, segundo a lenda, traz sorte a quem o possui, empalhado.

O Uirapuru também inspirou a elaboração de algumas músicas populares. Uma delas foi composta por Jacobina e Murilo Latini, e interpretada por Pena Branca e Xavantinho. A letra é a seguinte:

UIRAPURU

Uirapuru, Uirapuru,

Seresteiro cantador do meu sertão;

Uirapuru, Uirapuru,

Ele canta as mágoas do meu coração.

A mata inteira fica muda ao teu cantar,

Tudo se cala para ouvir tua canção,

Que vai ao céu numa sentida melodia,

E vai a Deus em forma triste de oração.

Uirapuru, Uirapuru,

Seresteiro cantador do meu sertão;

Uirapuru, Uirapuru,

Ele canta as mágoas do meu coração.

Se Deus ouvisse o que te sai do coração,

Entenderia que é de dor tua canção,

Que nos seus olhos anda o pranto em moradia,

Que daria para salvar o meu sertão.

Uirapuru, Uirapuru,

Seresteiro cantador do meu sertão;

Uirapuru, Uirapuru,

Ele canta as mágoas do meu coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: